MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Slides e Material das Minhas Apresentações no Microsoft TechEd 2011

Conforme prometido, seguem os ppts e material adicional que utilizei nas minhas apresentações:

Dia 29/09 as 14:00 - STO301 | Utilizando de forma eficiente seu storage para ter o melhor IOPS

Download: STO301.zip

Dia 29/09 as 15:30 - SRV303 | Gerenciando Recursos com o Windows System Resource Manager

Download: SRV303.zip

Dia 30/09 as 10:10 - VIR307 | Gerenciando ambientes Vmware atraves do System Center Virtual Machine Manager 2012

Download: VIR307.zip

MVP 2011–Obrigado Comunidades

image[3] Hoje recebi a noticia de que fui aprovado como MVP para o próximo ciclo, de 1º de Outubro de 2011 a 30 de Setembro de 2011 !!!

É uma noticia alegre que compartilho mais uma vez com as pessoas que tive o prazer de interagir, pois receber este titulo e mantê-lo envolve o valor que a comunidade nos dá, e ter conseguido atingir este público e receber os feedbacks positivos é uma divida que tenho com vocês !!!!!

Mas prometo neste ciclo intensificar posts, artigos e videos, principalmente porque será um ano repleto de lançamentos, começando ainda este ano com a familia System Center e outros lançamentos previstos para o ano que vem!

Ah, antes que eu me esqueça, mudei de competencia e agora não sou mais de Management Infrastructure que abrange apenas WMI e WS-MAN. Minha competencia agora é Windows Expert-IT Pro, ou seja, especialista de Windows Server System. Muito apropriada a mudança levando em conta que o Windows 8 e System Center 2012 irá dominar o cenário!

Post do ano anterior: MVP–Um titulo que devo a todos

Posted: out 02 2011, 00:58 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: MVP

Microsoft TechEd 2011–Não deixe de comparecer

image

Eu participo do TechEd desde a primeira edição, tendo palestrado nos anos de 2001, 2003, 2008 e 2010. Nos anos em que não fui palestrante participei como assistência e é o único evento que tenho como obrigatório na minha agenda anual!

Este ano fui convidado novamente e será um prazer ter a oportunidade de falar sobre os temas abaixo e compartilhar com vocês a minha agenda e quem sabe nos encontrar nas salas:

Dia 29/09 as 14:00 - STO301 | Utilizando de forma eficiente seu storage para ter o melhor IOPS

O planejamento de performance de uma storage depende de conhecimento de varios aspectos que devem ser levados em consideracao. Nesta sessao voce conhecera varias dicas e truques de profissionais especialistas de mercado
Palestrante(s): Marcelo Sincic, Marcio Maisonette
Dia 29/09 as 15:30 - SRV303 | Gerenciando Recursos com o Windows System Resource Manager
Quer gerenciar melhor os recursos de Hardware de seu servidor para Aplicações, Usuários, Sessões de RDS ou Pools do IIS? Veja nesta seção como utilizar o Windows System Resource Manager para alcançar este objetivo.
Palestrante(s): Marcelo Sincic

Dia 30/09 as 10:10 - VIR307 | Gerenciando ambientes Vmware atraves do System Center Virtual Machine Manager 2012

O System Center Virtual Machine Manager (VMM) 2012 permite o gerenciamento de um ambiente VMWare de forma nativa. Veja nesta seção como utilizar uma única console para gerenciar um ambiente de Virtualização misto.
Palestrante(s): Alexandre Goudard, Marcelo Sincic

image

image

Não deixe de comparecer e nos vemos lá!!!  http://www.teched.com.br/Conteudo/Palestras.aspx

Posted: set 23 2011, 08:29 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Eventos

Secure Boot no Windows 8–Entenda o que é e espante os mitos

Ontem a discussão estava acirrada no meu grupo de trabalho por causa da noticia de que a Microsoft iria bloquear o HD que tivesse o Windows 8 instalado.

Em primeiro lugar isso não é inteiramente verdade, pois vários instalaram o SO e sabem que não foi necessário e não será obrigatório ter UEFI para instalação do Windows 8.

O Windows 8 ainda é um Technical Developer Preview, o que significa que nem pode ser chamado de Beta, portanto não há um compromisso de que todas as opções apresentadas sejam implementadas. Alem disso, não há certeza de como serão implementadas. Portanto, toda este discussão se baseia em suposições.

O que é o UEFI ?

Significa Unified Extensible Firmware Interface e irá substituir o boot atual que ainda é escrito em 16 bits e exige conversão de comandos, enquanto o UEFI é baseado em 64 bits.

Não se trata de uma invenção nova, começou a ser desenhada em 1995 com o nome de EFI e hoje se tornou um padrão entre os fabricantes de hardware e software (http://www.uefi.org/about/).

Uma das caracteristicas do UEFI é que ele permite instalar um SO diretamente na flash. Para quem já instalou um servidor novo da Dell, por exemplo o R710, já viu a aplicação que ele possui para auxiliar a instalação do SO?  Este é um exemplo de UEFI boot.

O que é o Secure Boot ?

Um dos recursos novos adicionado ao UEFI é a possibilidade de o Kernel do SO indicar um chave assimétrica (Key Pairs) e apenas driver que estejam com assinatura digital sejam instalados. Essa feature já existe em alguns Macs (EFI Boot) e previne rootkits, dai o motivo de menor número de invasões.

Esse recurso não é novidade, alterar a versão do SO de equipamentos da Apple exige jailbreaks e caso a Microsoft resolva lançar o Windows 8 nas versões OEM com o UEFI travado não seria uma prática diferente da que muitos SOs já utilizam.

Rumores envolvendo Linux

Foram publicados em muitos lugares que a intenção seria a Microsoft proibir Linux baseados em um post na internet.

Porem, quem ler o post completo irá notar o trecho abaixo onde o autor não está dizendo que Linux não irá funcionar e sim que o problema é que as distribuições Linux e os Drivers nem sempre possuem assinatura digital, o que faria com que o UEFI entenda como rootkit e aborte a inicialização.

clip_image002

Para entender o processo do boot utilizando UEFI veja o diagrama abaixo e assista a palestra em http://channel9.msdn.com/Events/BUILD/BUILD2011/HW-457T onde foi apresentado o Secure Boot.

clip_image004

Conclusão

Caso seja travado na BIOS a opção de alterar o UEFI em máquinas compradas com Windows 8 OEM, basta comprar uma maquina que não seja com Windows 8 e instalar o SO que desejar, inclusive o próprio Windows 8 em dual boot como já fazemos atualmente.

Ou então, como falou o próprio analista que jogou a questão no mercado, assinar o kernel e os drivers de Linux.

Posted: set 22 2011, 11:17 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 8 | Segurança

Videos Forefront for Exchange 2010

A algum tempo atrás gravei os videos de Forefront for Exchange 2010 no formato Community Videocast que depois não foram publicados com a chegada dos Centros de Treinamento.

Cortei o video em duas partes e deixei disponível.

Parte 1–Configuração do ForeFront for Exchange 2010

 

Parte 2–Configuração do Forefront for Exchange 2010

Posted: set 20 2011, 13:11 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'system center virtual machine manager'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Microsoft Virtual Machine Converter (MVMC)–Retirada do Produto

A Microsoft anunciou esta semana a retirada do MVMC como produto já no final deste ano.

https://blogs.technet.microsoft.com/scvmm/2016/06/04/important-update-regarding-microsoft-virtual-machine-converter-mvmc/

Para quem não conhece o MVMC ou não lembra sua função, ele é um plugin para converter maquinas fisicas (P2V) ou virtuais de outras plataformas (V2V) para VMs no Hyper-V.

 

O que usar no lugar do MVMC?

A sugestão apresentada é utilizar o Azure Recovery Site, mas ele na verdade é um serviço e não seria útil quando o desejo é subir VMs em ambiente on-premisse.

Porem, no caso do cliente que quer transformar o ambiente fisico (P2V) para nuvem (IaaS) o Azure Recovery Site é a melhor opção.

E para quem precisa fazer V2V hospedadas no VMWare para o Hyper-V pode utilizar o próprio VMM (System Center Virtual Machine Manager) que processa a conversão nativamente.

Por fim, para os casos de conversão de maquinas fisicas para virtuais (P2V) pode-se usar o Disk2VHD como já comentado em outras ocasiões e é um produto muito conhecido para gerar VHDs a partir de discos fisicos, que abordei em 2009: http://www.marcelosincic.com.br/post/Ferramenta-para-converter-HD-fisico-(em-uso)-para-VHD.aspx

Link do Disk2VHD: https://technet.microsoft.com/en-us/sysinternals/ee656415.aspx

Instalando e Utilizando o VMM Network Builder

Esta nova ferramenta criada pelo time de produtos do VMM (Anjay Ajodha e Matt McGlynn) disponibiliza um ambiente gráfico para criação de redes virtuais com o System Center Virtual Machine Manager 2012 R2.

Download: http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=43975

Instalação

Após fazer o download do instalador, que é muito simples de ser utilizado, será criado um arquivo zip no desktop que deverá ser importado pelo console do VMM:

SNAG-0000

Não é necessário fazer a extração do arquivo XML dentro do zip, basta ir no console do VMM em Settings –> Console Add-ins e importar o wizard indicando o zip criado pelo instalador:

 SNAG-0002

 SNAG-0005

Utilizando o VMM Network Builder

O passo seguinte é utilizar o Network Builder, e é muito simples, podendo ser feito no menu Fabric –> Networking ou pelo botão Build Network na barra de tarefas:

image

Neste momento será possível ver a inicialização do wizard, onde ele irá procurar o servidor e validar os dados existentes para a criação de uma nova rede virtual:

SNAG-0007

A primeira configuração que o administrador precisa definir é se esta nova rede virtual deverá ter segregação de tráfego administrativo e de dados, o que normalmente não criamos a cada nova rede virtual. Mas se o seu design for para redes segregadas (NVGRE ou outra) valerá a pena criar a rede de gerenciamento especifica:

SNAG-0008

Observação: A rede criada será chamada de “Management Network”. Se renomeá-la após criada será necessário verificar as dependências com outros objetos.

Defina se os hosts terão placas de rede físicas (NIC) separadas para gerenciamento ou se serão também placas virtuais (vNIC):

SNAG-0009

O passo seguinte é definir o range de IPs que será utilizado para a rede de gerenciamento segregada:

SNAG-0010

Por fim, passamos a definir a rede de dados que as VMs irão receber ao utilizar esta rede virtual, primeiro definindo um nome para esta rede:

SNAG-0011

O próximo passo é a definição do nome da rede virtual, as VLANs (se houver) e o range IPv4 e/ou Ipv6:

SNAG-0012

Observação: O range de IPs de gerenciamento (Management Network) e de dados (Logical Network) não podem estar dentro do mesmo intervalo, no meu caso utilizei os valores apenas como exemplo (veja Dicas no final do artigo)

Verifique se o desenho ficou correto e se deseja que seja criado um script para ser executado nos hosts. Este passo do script é importante, pois o Network Builder não irá alterar os hosts para criar os vSwitches. Sendo assim, solicite que o script seja criado e execute-o nos hosts que utilizarão esta nova rede virtual que está sendo criada. Obviamente que você também poderá criar os vSwitches manualmente em cada host utilizado a interface gráfica:

 SNAG-0013

Dicas

  • Cuidado ao criar as redes lógicas, pois o VMM Network Builder não valida as informações, por exemplo se o range de IPs da rede de gerenciamento for o mesmo da rede de dados ele só acusará o erro na execução dos scripts de criação
  • Cuidado ao renomear objetos após a criação da rede pelo assistente, pois as dependências e o script para o host não irão funcionar, a menos que totalmente verificados e editados

Conclusão

Apesar de muito simples, o VMM Network Builder nos ajuda muito no gerenciamento de redes virtuais, evitando que administradores que estão se familiarizando com a ferramenta esqueçam de alguma configuração.

Administrando Windows Azure com o System Center AppController

Um dos produtos da suite System Center pouco conhecidos é o AppController. Sua função é tornar o uso de ambientes Private Cloud reais, por proporcionar um portal de auto-atendimento simples com uma interface web.

É importante ressaltar que o AppController não é apenas uma atualização do Virtual Machine Manager Self-Portal, pois ele tem as funcionalidades novas do VMM 2012 SP1 como controle de cotas, instânciamento de serviços e integração com o Windows Azure, que será tratado neste post.

Configurando a conta Windows Azure no AppController

O primeiro passo é integrar no AppController a conta do Azure e para isso é necessário primeiro cadastrar um certificado digital no portal do Azure, opção Settings –> Management Certificates onde poderá fazer o upload do certificado:

image

Este certificado é utilizado para autenticar o acesso e pode ser emitido por qualquer IIS na opção Certificates –> Self-Signed e depois fazer a exportações e upload no Azure.

O passo seguinte é cadastrar esta conta do Azure e o certificado no AppController:

Imagem1

Realizados estes passos já será possivel ver a conta no AppController:

Imagem2

Ao clicar na conta do Azure, terá uma lista das VMs criadas no ambiente, com o nome de cada VM, a localização geográfica do Datacenter selecionado e as instâncias criadas:

image

No menu Virtual Machines podemos ver a lista de VMs disponiveis, onde tanto VMs locais (Private Cloud) como as VMs no Azure podem ser administradas de forma integrada:

image

Note que na tela acima temos na parte de baixo dois paineis, o esquerda mostra os dados básicos da VM e na direita o serviço que serviu de origem para esta instância, uma vez que as VMs no Azure podem ser criadas por se fazer o upload de um VHD pronto. No exemplo acima, ao clicar no design vemos detalhes e podemos alterar os dados:

Azure2

Criando VMs no Azure com o AppController

A criação de maquinas virtuais pelo AppController é muito simples e permite um nivel de customização maior que pelo próprio Windows Azure Portal.

A primeira forma de fazer isso e também a mais simples, é no menu Virtual Machines usar o Add:

Azure3

Uma segunda forma é por utilizar a lista de contas ou selecionando na Library a imagem que será utilizada para instanciar a nova maquina virtual, com a opção Deploy:

Imagem4

Imagem8

Será aberta a janela de design para definição dos componentes da VM, como mostrado abaixo:

Imagem5

Note que os links permitem selecionar os itens como a imagem de máquina virtual desejada, a rede e a localização geográfica do Datacenter desejado:

image

image

Conclusão

Utilize o System Center AppController para administrar de forma integrada seus ambiente de Private Cloud e Public Cloud em um único console de forma simples, baseada em serviços e funcional.

Login