MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Novos Tablets no Mercado

Na semana passada foi anunciado o tão aguardando iPad 2, porem o que vimos em Seattle, WA não era o iPad fazendo tanto sucesso e sim o Kinect e o Inspiron Duo. Também havia o tablet da Asus mas o valor era bem maior que o iPad e o Duo.

 

O que foi possivel ver é que os tablets entraram forte agora no mercado e os notebooks estão se transformando. Ver o Ballmer andar de um lado pro outro no palco no Keynote com um destes tablets e depois falar e demonstrar o equipamento (era um Asus) deixou bem claro as escolhas do mercado profissional.

Como trabalho na Dell, posso falar sobre o lançamento da empresa nesta linha, o Inspiron Duo. O equipamento é fantástico !!!  Veja o video

Executando Windows 7 Home Premium e com a nova geraçao de processadores Intel Atom Dual Core, acompanha 2 GB de memória e um disco de 250 GB (note que de 7.200 RPM).

Equipamento Processador SO Memoria Vantagens Desvantagens Preço
Inspiron Duo Intel Atom Duo N520 Windows 7 Home Premium 2 GB RAM / 250 GB de disco (7200 RPM) É um note, com teclado e todos os recursos normais para trabalho A bateria é de 27W e pesa 1,5Kg.
Não possui 3G mas pode conectar com modem USB

R$ 1.899

U$ 549 (EUA)

iPad 2 ARM Apple A5 iPhone OS 4.3 16 a 64 GB Leve, bateria de aprox. 10 hr e 3G Não permite conexão com equipamentos de mercado, não tem teclado nem apoio para uso como estação de trabalho

R$ 1.599 (iPad 1)

U$ 499 (EUA)

E ai, ainda tem dúvidas de qual vai comprar?    No meu caso, com certeza escolheia o Duo, e posso dizer que não é tendenciosa !!!!

Ah, e o melhor. O Inspiron Duo já está a venda no Brasil http://www.dell.com.br/InspironDuo

Posted: mar 11 2011, 17:38 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware | Outros

Intel vPro Segunda Geração

Em um webcast já havia comentado os recursos que o vPro agrega (clique aqui) mas agora temos novos recursos agregados a partir dos próximos processadores.

image    image

Vamos recapitular algumas informações. Como comentado no post anterior, alguns dos recursos do vPro são já velhos conhecidos como o Turbo Boost, Hyper-Threading e Intel VT para virtualização. Na primeira versão foram incluidos os recursos de KVM que permitem captura remota de tela, o AMT que permite manipular o BIOS da maquina a distancia e outros recursos.

A adição da segunda geração de recursos vPro estão nos processadores para Core i5 (Especificações) e Core i7 (Especificações). Segue um resumo destes novos recursos:

  • Intel® AES-NI (http://software.intel.com/en-us/articles/intel-advanced-encryption-standard-instructions-aes-ni/)
    Recurso que acelera processos de criptografia de dados, principalmente o BitLocker do Windows 7 e Windows 2008 R2.
    É um recurso transparente para o usuário, pois é realizado por softwares como o McAfee, Windows BitLocker e outros.
  • Intel® AT (http://antitheft.intel.com/welcome.aspx)
    Sigla de “Anti-Theft Technology” faz um mapeamento da localização fisica do computador, permitindo que se enviei uma instrução pela internet travando totalmente o computador. Isso inutiliza o equipamento, protegendo os dados sensiveis.
    Porem, é importante notar que será necessário ter um software especifico que tenha suporte a esta tecnologia. Veja no link do AT quais são os monitores e os modelos de computadores que possuem a tecnologia.
  • Intel® InTru™ 3D e Quick Sync Video (http://www.intel.com/technology/visualtechnology/index.htm)
    Novas tecnologias na placa de video onboard destes processadores com suporte a 3D embutido, alem de um acelerador gráfico potente que dispensaria o uso de placas offboard para realização de videos e trabalhos visuais.
    Não se trata de um recurso novo por sí só, mas acelera as funções da placa Intel HD embutida nesta geração de processadores.

Caso queira procurar em detalhes os processadores e os recursos disponiveis veja o link http://www.intel.com/products/core_vpro/index.htm com o resumo tanto das features que já existiam como as novas com muitos links detalhados.

Resumo: Com estes novos recursos a Intel consegue criar um processador quase que monolitico em termos de segurança e usabilidade. A placa de video onboard agora tem resolução e capacidade para manipulação de ambientes gráficos complexos. Os novos recursos são imagináveis apenas para softwares que podiam ser utilizados, porem em caso de formatação de nada adiantaria e agora estamos falando de travar o processador fisicamente inutilizando o equipamento, alem de permitir localizá-lo se integrado com o GPS do computador (quando disponivel).

Posted: mar 07 2011, 15:44 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Hardware

Removendo Project Server 2010 Applications no SharePoint 2010

Um erro comum é remover a Site Collection de um PWA sem fazer isso pelo gerenciador de aplicações. Normalmente quem incorre neste erro tem vários problemas depois, o PWA não abre mais e algumas vezes não é possivel criar novos PWAs.

Causa

Ao deletar a Site Collection diretamente foi removido o ponteiro na Web Application, porem para o serviço de dados do Project Server ainda consta um PWA com o banco de dados intacto.

Sintoma

Ao tentar agora deletar corretamente pelo “Manage Service Applications” ocorre o erro:

“Service application cannot be deleted due to existing project sites”

Tela1

Solução

Entre no SharePoint 2010 Management Shell e execute a seguinte sequencia de comandos:

Get-SPServiceApplication
$ID_App = Get-SPServiceApplication | ? {$_.Displayname -like "Nome da Aplicação"}
$Colecoes = $ID_App.SiteCollection
$Colecoes
$ID_App.SiteCollection.Remove("22ffa7a9-17f1-4801-b648-cc7e1dbe2183")

O primeiro comando lista todas as aplicações encontradas e entre elas as do PWA. É possivel criar um filtro para o like, similar ao segundo comando. Ou se você já conhece o nome da aplicações coloque diretamente na segunda linha.

O segundo comando captura o ID da aplicações e o terceiro utiliza este ID para trazer a lista de Site Collections vinculadas ao PWA.

O quarto comando lista o resultado da variavel $Colecoes para que você posso ler o ID da Site Collection que é inserido no ultimo dos comandos.

Após isso, rode novamente os comandos 3 e 4 até que não retornem mais nenhum Site Collection, apesar de que o PWA costuma ser um unico SC.

Veja abaixo os prints completos, de cada estágio:

Tela2

Tela3

Tela4

Tela5

E não se esqueça que não será deletado os bancos de dados no SQL Server, o que deve ser feito manualmente antes de se criar uma nova aplicação para o servidor de PWA.

Posted: fev 24 2011, 18:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Sharepoint | Project Server

Windows Automated Installation Kit (AIK) for Windows 7 SP1

Ontem (18/02/11) foi liberada a nova versão do Windows AIK agora adaptada para incluir o Windows 7 SP1 e Windows 2008 R2 SP1. Para baixá-lo clique aqui Windows AIK.

Muitos se perguntam: Porque é necessário um novo AIK a cada versão do Windows incluindo um Service Pack?

O motivo é que o AIK não é apenas o ImageX mas sim uma coleção de ferramentas que fazem a adaptação da imagem para rodar em distribuição centralizada. Por exemplo, o DISM permite alterar as opções de configuração da maquina ainda na imagem, e como um Service Pack altera opções, como por exemplo, o suporte a RemoteFX e assim por diante, é necessário atualizar a biblioteca de configurações das ferramentas.

O mesmo acontece com o MAK e o VAMT que não reconhecem a versão 6.1.7601 que é o Windows 7 SP1 e ocasionalmente pode não ativar copias “Windows 7 With SP1” ou “Windows 2008 R2 with SP1”.

E principalmente, agora temos um novo WinPE 3.1 (Windows Pre-Environment).

Mas surge outra pergunta: E se eu continuar usando o WAIK anterior?

O problema neste caso é que o WinPE passou da versão 3.0 para 3.1 que não dá suporte aos novos arquivos e chaves de registry adicionadas no Windows 7 SP1, mas haveriam algumas modificações que não estão no WinPE 3.0, como por exemplo, o problema que comentamos anteriormente sobre imagens lentas por causa da mudança no tamanho de cluster dos fabricantes de HD (veja mais em Tamanho de setor em HDDs novos influi em imagens e performance).

Porem, nada impede que continue a usar o WAIK anterior tanto no MDT quanto no System Center Configuration Manager 2007.

Para mais detalhes, o que inclui instalar o novo WAIK no Windows 7 ou Windows 2008 R2 sem o Service Pack 1, leia o Readme em http://technet.microsoft.com/en-us/library/dd349350(WS.10).aspx

 

IMPORTANTE: O novo WAIK ainda não está homologado para rodar no SCCM 2007, então siga o blog do time de System Center e AIK da Microsoft para esta informações

Posted: fev 19 2011, 11:13 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft IT ShowCase–Exemplos práticos de implementações

Que tal ter numeros prontos para apresentar sobre um produto?

Essa é a intenção deste site do TechNet. O IT ShowCase (http://bit.ly/f4QyKC) é fornecer esta ajuda. Já havia blogado anteriormente sobre os IPDs (Atualizado- Baixe todos os Infrastructure Planning and Design (IPD) guides da Microsoft JUNTOS !) que são documentos de referencia para novas implementações.

Porem a intenção dos documentos no IT ShowCase é fornecer dados balizados para a implementação de um produto, feature ou customização.

Por exemplo, no documento “Manage, Monitor, and Report: Implementing a Power Management Strategy with System Center Configuration Manager 2007 R3” (http://bit.ly/fh8eco) é possivel saber quantos watts e valores (U$) são economizados com a implementação do recurso de gerenciamento de energia pelo SCCM.

Veja a lista de novos documentos, atualizados agora em fevereiro:

Bom proveito e guarde o link principal, sempre há atualizações !!!

Posted: fev 11 2011, 22:29 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'dpm 2007'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Utilizando Fitas (Tape Drives) no DPM 2010–Parte III

Neste terceiro post iremos tratar de como trabalhar com as politicas de backup “long-term” para ajudar a escolher a mais apropriada para sua necessidade.

Como abordado no primeiro post é necessário escolher algumas opções ao criar o grupo de proteção e utilizar a opção “Long-term”.

Backup Tape

A primeira opção Retention range indica qual o tempo de retenção ou expiração do backup. Esta opção é importante ao ser planejada pois se este tempo for alto indica o numero de fitas que precisam ser utilizadas, já que como abordado na parte II a fita só pode ser reutilizada quando este periodo terminar.

A opção Frequency of backup e Backup schedule obviamente indicam quando o backup será executado na janela de retenção.

Quantas fitas (tapes) são necessárias?

Utilizando o backup acima como exemplo, precisariamos de 6 fitas. O motivo é que o backup é diario realizado de segunda a sexta (sabado e domingo está como excluido) o que formaria um conjunto de 5 fitas. A 6ª fita é a de arquivamento, já que o rodizio das fitas só seria possivel ao completar uma semana.

Ou seja, sempre serão necessárias uma fita a mais do que o periodo indicado para ser possivel realizar o rodizio.

Utilizando o Co-location não diminuo o numero de fitas?

Sim e muito, principalmente se os grupos de proteção forem menores que 400/800GB da fita LTO-3, por exemplo, já que diversos backups poderão estar contidos em uma unica fita.

O problema do co-location é o fato do gerenciamento ser manual. No exemplo da pergunta anterior poderá existir uma rotina de backup onde o operador em um horário determinado irá trocar a fita.

Quanto o co-location está ligado é necessário ficar manualmente olhando o quanto da fita está livre para fazer a troca, alem do co-location acabar misturando backups de grupos de proteção diferentes na mesma fita, o que torna mais complexo o arquivamente em cofre ou outra forma persistente.

Exemplos com politica de renteção em cofre

Vamos fazer um exemplo de uma empresa com 3 grupos de proteção, o que é comum. Levaremos em conta que o arquivamento mensal será permanente:

  • Grupo 1 – File Server com backup diário (seg-sex), retenção semanal e arquivamento mensal
  • Grupo 2 – Exchange com backup diário (todos os dias), retenção semanal e arquivamento semanal/mensal
  • Grupo 3 – SQL Server com backup diário (todos os dias), retenção semanal e arquivamento semanal/mensal

Para o grupo 1 precisariamos anualmente de 12 fitas permanentes mais 6 rotativas:

  • 5 fitas para os backups diários
  • 1 fita para fechar o ciclo semanal
  • 12 fitas para os backups mensais que são o ultimo semanal do mês, que será arquivada

Como o grupo 2 e 3 são similares seriam necessárias anualmente 56 fitas permanentes e 7 rotativas que ao longo do

  • 7 fitas para os backups diários
  • A ultima fita de backup diário na semana será a fita semanal, portanto 4 fitas por mês que serão arquivadas
  • A fita de backup mensal é a última fita do semanal, que será será arquivada

Se o mesmo grupo 2 e 3 não exijam que o backup das semanas anteriores sejam guardados ao terminar o mensal teriamos a redução de 3 fitas ao mes o que somaria 12 fitas permanentes, 3 rotativas semanais e 7 rotativas diárias:

  • 7 fitas para os backups diários
  • A ultima fita de backup diário na semana será a fita semanal, portanto 4 fitas por mês que serão arquivadas
  • A fita de backup mensal é a última fita do semanal, que será será arquivada dispensando as 3 anteriores para rodizio

Conclusão

Espero ter esclarecido as principais dúvidas sobre backup em fitas com o DPM e fiquem a vontade para comentar ou enviar perguntas e sugestões.

 

Parte I – Criando grupos de proteção incluindo tapes Utilizando Fitas (Tape Drive) no DPM 2010–Parte I

Parte II – Gerenciando tapes http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Utilizando-Fitas-(Tape-Drives)-no-DPM-2010e28093Parte-II.aspx

Posted: jul 21 2011, 04:42 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Utilizando Fitas (Tape Drive) no DPM 2010–Parte I

Uma duvida muito comum que me recebo é como utilizar tapes no DPM (System Center Data Protection Manager), já que os videos que publiquei no final de 2009 (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Serie-Technet-VideoCast-System-Center-Data-Protection-Manager.aspx) não abordei o assunto por estar utilizando VMs e não tinha um tape drive.

Obviamente que será necessário utilizar um modelo compativel (http://technet.microsoft.com/en-us/systemcenter/dm/cc678583), e no meu caso estou com a Dell TL4000 que possui robo e dois drives.

Irei dividir em 3 posts, este primeiro em como utilizar o backup em fitas, o segundo sobre operação com as fitas e como gerenciar e o terceiro post sobre politicas de backup apropriadas.

Parte I – Utilizando backups em fita

No DPM temos o backup “short-term” que é realizado em disco e o backup “long-term” que é em fitas.

Para habilitar é necessário primeiro que o DPM reconheça a unidade, como mostrado na imagem abaixo:

Tape Drive

Note que no exemplo acima estamos tratando de um robo de fitas com capacidade para 23 LTOs 3 ou 4 no carrousel.

Após reconhecer a unidade no grupo de proteção já irá habilitar a opção de backups em fitas, como abaixo:

Tipos de Backup

Ao escolher que deseja fazer o backup “long-term” terá as próximas duas telas, a primeira abaixo mostra o periodo de retenção do backup em fita, sua frequencia e o agendamento do backup.

Backup Tape

Por fim, escolha em qual dos drives (quando multiplos) deseja que o backup seja feito e se deseja criptografar e comprimir, lembrando que não é possivel combinar os dois métodos:

Escolha do Tape

Finalizo aqui a parte 1 desta série e em breve publicarei a parte 2 e 3 atualizando este post com os seguintes.

Veja a parte II – Gerenciando fitas http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Utilizando-Fitas-(Tape-Drives)-no-DPM-2010e28093Parte-II.aspx

Vaje a parte III – Criando sua politica de backup http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Utilizando-Fitas-(Tape-Drives)-no-DPM-2010e28093Parte-III.aspx

Posted: jul 14 2011, 00:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login