MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

System Center Configuration Manager 2012 com SQL Server 2012

Já é a segunda implementação de SCCM 2012 que faço e utilizando o SQL Server 2012 e notei um problema em comum nos dois casos, não permitir utilizar o SQL Server Reporting Service como Reporting Point para o SCCM 2012. Todas as outras roles e funcionalidades do SCCM 2012 funcionam normalmente com o SQL Server 2012.

Na primeira implementação não tinha muito tempo para depurar e tentar encontrar o que era, apenas me contive na lista de compatibilidades do SCCM 2012 em http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg682077.aspx e instalei o SQL Server 2008 R2.

Importante: O System Center 2012 SP1 anunciado para ser lançado em breve irá incluir o SQL Server 2012 na lista de compatibilidade

SINTOMA

Após instalar o SQL Server 2012 e executar os prereqs do SCCM a instalação ocorre com sucesso e a configuração das roles do SCCM 2012 é possivel, exceto Reporting Point.

Ao tentar adicionar a role Reporting Point no SCCM 2012 com o banco de dados sendo o SQL Server 2012 não aparece a instância do Reporting Services para ser selecionada.

CAUSA

O SQL Server Reporting Services (SRSS) 2012 não é compativel com o SCCM 2012, pois na consulta WMI do wizard é utilizado uma cláusula de filtro para retornar as instâncias do SRSS utilizando a versão (2005, 2008 e 2008R2) como parametro, o que não retorna o SRSS na versão 2012.

O mesmo não acontece com o validador de pré-requisitos na instalação do SCCM 2012 pois ele utiliza uma cláusula de consulta a versão do SQL Server invertida da que é utilizada acima, onde é pesquisado versões acima da SQL Server 2005 e não uma lista fixa das versões.

SOLUÇÃO

Instale a feature Reporting Services do SQL Server 2012, pois o Service Pack 1 do System Center que será liberado em breve dará suporte ao SQL Server 2012. Na ocasião exporte os relatórios customizados (arquivos rdp) e remova a role Reporting Point, adicionando em seguida já na instância do SQL Server 2012.

Durante este periodo, instale apenas a feature SQL Server Reporting Services do SQL Server 2008 R2. Não é necessário instalar mais nenhum recurso do SQL Server 2008 R2, já que a base de dados do SRSS 2008 R2 pode utilizar o SQL Server 2012 como banco de dados normalmente.

Configure o Reporting Services do SQL Server 2008 criando uma base de dados no SQL Server 2012 e faça o backup da chave, para quando sair o System Center 2012 SP1 seja possivel utilizar o mesmo banco de dados de relatórios, apenas configurando o Reporting Services do SQL Server 2012.

Posted: jun 27 2012, 00:00 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Conteudo do Microsoft TechEd 2012 Noth America Disponivel Online

Assim com o MMS 2012 (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/MMS-2012e28093Novidades-Importantes-e-Assista-o-Evento-Online.aspx) o TechEd 2012 teve o seu conteudo aberto ao público.

Claro que nada substitui a presença em um evento como esse, interagir com outros participantes e os palestrantes, mas para que não pode participar (me incluo) assistir online é uma grande facilidade e oportunidade.

Faça uso dos filtros para encontrar o assunto, palestrante ou track desejada:

http://channel9.msdn.com/Events/TechEd/NorthAmerica/2012

Posted: jun 18 2012, 10:49 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Eventos

Ebook Gratuito: Introdução do Windows Server 2012

Já havia recebido este link de diversos amigos pelo Twitter, mas só hoje tive tempo de ler o conteudo.

Realmente o livro é muito bom e gratuito!!!!

image

Gostei muito dos capitulos 2 e 3. O capitulo 2 trata do Hyper-V 3.0 e o captiulo 3 do MSCS (Microsoft Cluster Service) e abordam não apenas a parte téorica com maestria, mas também como configurar.

O conteudo é baseado no Beta, mas não temos grandes mudanças em conceitos e interfaces, exceto limites de VMs que aumentaram.

Excelente, não deixe de baixar direto o pdf http://go.microsoft.com/?linkid=9811411

Para ver o anúncio do lançamento e os varios formatos (PDF, epub e mobi): http://blogs.msdn.com/b/microsoft_press/archive/2012/06/04/free-ebook-introducing-windows-server-2012.aspx

Posted: jun 12 2012, 15:54 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 2012

Artigos no Wiki MIVP #6, #7, #8 e #9: System Center Configuration Manager 2012–Da Instalação ao Endpoint Protection

Continuando a parceria com a agência de publicidade para a montagem de 20 artigos referentes a Private Cloud com System Center 2012, esta semana publicamos mais 4 artigos no portal MIVP no Wiki, deta vez focados no SCCM 2012: http://social.technet.microsoft.com/wiki/contents/articles/7533.portal-mivp-most-influential-virtualization-professional-pt-br.aspx?ocid=soc-n-br-loc

  • System Center Configuration Manager 2012 – Instalação e Configuração (pt-BR)
  • System Center Configuration Manager 2012 - Novos Recursos de Administração (pt-BR)
  • System Center Configuration Manager 2012 - Distribuição de Software Focada no Usuário (pt-BR)
  • System Center Configuration Manager 2012 - Garantindo sua Segurança com o Endpoint Protection (pt-BR)
  • Em breve os próximos 4 artigos que irão abordar SCOM, Orchestrator e App Controller:

    • System Center Operations Manager 2012 - Instalação e Configuração
    • System Center Operations Manager 2012 - Novos Recursos
    • System Center Orchestrator - Automatizando Tarefas
    • System Center AppController - Monitore Aplicações

    Series:

    Erro de Comunicação entre o Agente e Servidor no DPM 2012

    O erro abaixo pode ocorrer em casos de instalação do DPM em maquinas que já possuiam algum outro produto da familia System Center 2012 nas versões Beta e Release Candidate.

    Sintoma

    Log Name:      Application
    Source:        DPMRA
    Event ID:      85
    Level:         Error
    User:          SYSTEM
    Description:
    A DPM agent failed to communicate with the DPM service on W2K8R2-DPM.sincic.com.br because of a communication error. Make sure that W2K8R2-DPM.sincic.com.br is remotely accessible from the computer running the DPM agent. If a firewall is enabled on W2K8R2-DPM.sincic.com.br, make sure that it is not blocking requests from the computer running the DPM agent (Error code: 0x23e750, full name: W2K8R2-DPM.sincic.com.br).

    Log Name:      System
    Source:        Microsoft-Windows-DistributedCOM
    Event ID:      10006
    Level:         Error
    User:          N/A
    Computer:      W2K8R2-HV-AD.sincic.com.br
    Description:
    DCOM got error "2147944121" from the computer W2K8R2-DPM.sincic.com.br when attempting to activate the server:
    {CC7D8A18-C386-48D5-9906-4FFC77A39788}

    Causa

    No servidor já existia alguma instalação de produtos que utilizam porta RPC para internet, como RPC-Over-HTTP, SCOM, SCCM e outros. O erro não acontece em maquinas criadas especificamente para o DPM.

    No registry é criado uma subchave em RPC para acesso a internet, indicando as portas disponiveis e com alguns parametros que acabam criando problemas em chamadas remotas em rede local.

    Solução

    Faça um backup da árvore de registro abaixo e delete.

    HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Rpc\Internet

    Reinicie a máquina para reconfigurar os serviços de RPC e refaça os testes de comunicação com o agente do DPM.

    Posted: jun 11 2012, 13:59 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
    • Currently 0/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    Login
    Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'iops'
    MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
    MVP Logo

    Últimos posts

    Categorias

    Arquivo

    Tags

    Conceitos de Storage para IT Pros 1 –Tipos de RAID e IOPS

    Em uma série de palestras que ministrei do ano passado (TechEd 2011, SQLPass #127, MCT Summit e universidades), abordei o assunto sobre a escolha do melhor meio de armazenamento e os tipos de RAID disponiveis, com as vantagens e desvantagens de cada um.

    Ainda é um assunto muito novo para IT Pros por conta de não ser abordado em cursos de faculdade, apenas em treinamentos técnicos de certificação.

    Neste primeiro artigo irei abordar os tipos de RAID e o que são IOPS. Em um próximo artigo comentarei sobre tipos de controladora e arquiteturas disponives (Fibre Channel, HBA, SMB e iSCSI).

    Parte 1 – Tipos de RAID

    RAID é o acronimo de Redundant Array of Independent Disk ou “Agrupamento redundante de discos independentes”, o que indica o uso de diversos discos para criar uma estrutura de alta disponibilidade.

    Os tipos de RAID podem ser simplificados pelo uso de 4 tipos principais, sendo:

    RAID Funcionamento e Nº de discos Vantagens Desvantagens
    0 – Stripped sem paridade A partir de 2 discos, as informações são gravadas em ambos os discos de forma independentes, ou seja, metade de um arquivo em cada disco Alta performance
    Baixo custo
    Total espaço disponivel
    Sem redundância, qualquer disco que perder os outros não tem como recriar os dados perdidos, uma vez que as informações estão em todos os discos
    1 – Espelhamento (Mirror) A partir de 2 discos, sempre em pares. Os dados são gravados em ambos os discos integralmente Alta performance, na leitura utiliza os dois discos
    Alta redundância
    Apenas metade da soma dos discos fica disponivel
    Alto custo por conta do espaço “perdido”
    5 – Stripped com paridade A partir de 3 discos. A informação é gravada similar ao RAID 0, porem ele utiliza um algoritmo que a informação é gravada em um disco a mais para reconstrução de qualquer disco com erro Boa performance
    Boa redundância
    Pouca perde de espaço útil
    Perde-se sempre o equivalente a um disco
    Em caso de perda de mais de um disco não há como reconstruir
    6 – Stripped com paridade A partir de 3 discos. A informação é gravada similar ao RAID 5, porem com 2 discos de paridade Boa performance
    Boa redundância
    Menor perda de espaço que o RAID 1
    Perde-se sempre o equivalente a dois disco
    Em caso de perda de mais de dois disco não há como reconstruir
    10 – Espelhamento de RAID 0 A partir de 4 discos, onde cada dois discos formam um RAID 0, sendo o segundo cópia do primeiro. É um misto de RAID 0 com RAID 1, porem no nivel do conjunto e não do disco Alta performance
    Alta redundância
    Perda de metade dos discos disponiveis
    Alto custo por conta da perda de espaço útil
    50 e 60 – Mirror de paridade RAID 5 e 6 com os discos de paridade espelhados Ótima redundância
    Boa redundância
    Perda de mais um disco alem dos que já eram paridade
    Performance média

    O mais usado hoje é o RAID 5/10, já que eles tem boa performance e redundância, como mostra o gráfico abaixo:

    image

    Abaixo um gráfico de itens gerais e comparação entre os tipos de RAID 5/6/10/50:

    image

    Observação: Os dados acima foram colhidos no docuemnto “Choosing a Member RAID Policy” que é baseado na arquitetura do Dell Equallogic e não é necessário se cadastrar: http://www.dellstorage.com/WorkArea/DownloadAsset.aspx?id=1066

    Parte 2 - O que são IOPS?

    É o número de operações por segundo que um disco individual consegue chegar. Por exemplo, um disco SAS de 10K consegue em média 140 IOPS.

    Esta velocidade é padrão na industria com variações entre modelos, mas podemos ter uma base do que é aceitável e o fabricante do disco poderá lhe informar este número.

    Porem, note que a diferença é muito grande, principalmente levando em conta os novos discos SSD. Por exemplo, o disco X25-E da Intel (Veja o pdf com as caracteristicas em http://download.intel.com/design/flash/nand/extreme/extreme-sata-ssd-datasheet.pdf) chega a números 30 vezes maiores que os discos SAS e SATA.

    image

    Porque o IOPS é tão importante?

    Esta pergunta é óbvia, mas a explicação pode não ser tão simples. Acontece que na maioria dos casos temos a tendencia de minimizar a questão dizendo que é “performance” ou “percepção do usuário” mas na verdade pode impactar diretamente no funcionando de um aplicativo, em alguns casos até inviabilizando.

    Por exemplo, um ambiente Exchange 2003 com 2 mil caixas de correio precisa de 1,5 mil IOPS e este número não é fácil de alcançar. O SQL Server para um banco de dados do SharePoint precisa de 5 mil IOPS para funcionar.

    Como calcular o IOPS?

    Multiplique o total de discos pelo tipo de RAID e conseguirá o seu número. Segue alguns exemplos:

    image

    O RAID 1, RAID 10 ou RAID 0 irá lhe proporcional o maior numero de IOPS possivel, já o RAID 5 o calculo leva em conta 1 disco a menos e no RAID 50 2 discos a menos para as paridades.

    Como conseguir o maior IOPS possivel com maior capacidade?

    Temos tres formas de fazer isso:

    1. Utilize discos de alta performance, como os SAS de 15K ou o SSD, porem são caros e no caso do SSD de tamanhos de apenas 32/50/64/100GB
    2. Utilize o tipo de RAID apropriado para a performance e não visando o tamanho desejado como muitos hoje fazem, o que muitas vezes implica em utilizar RAID 10 para ter a performance total ao invés de RAID 50, perderiamos em capacidade mas ganhamos em performance
    3. Compre um storage que trabalha com as LUNs virtuais, ou seja, ele aloca os dados nos discos conforme a necessidade deste dado e não necessita dizer o tipo de RAID

    Referencias interessantes

    Como calcular IOPS para Exchange 2003 http://technet.microsoft.com/en-us/library/bb125019(EXCHG.65).aspx

    Como calcular IOPS para Exchange 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/ee832791.aspx

    Como calcular IOPS para o SQL do SharePoint 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc298801.aspx

    Utilitário para medir IOPS para o SQL Server (SQLIO) http://www.microsoft.com/download/en/details.aspx?displaylang=br&id=20163

    image

    Para mais informações sobre o Windows Server 2012, acesse: http://clk.atdmt.com/MBL/go/425205719/direct/01/

    Posted: mai 13 2013, 19:08 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
    • Currently 0/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    Filed under: Hardware

    Videos do TechEd 2011 disponiveis para assistir online ou baixar

    Depois de voltar de férias e ficar no aeroporto de Denver por 8 horas esperando um voo para Seattle (quem disse que isso só acontece no Brasil), li um email informando que algumas palestras do TechEd 2011 foram filmadas integralmente e que uma das 3 que apresentei é uma delas (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Slides-e-Material-das-Minhas-Apresentacoes-no-Microsoft-TechEd-2011.aspx)

    Foi escolhida a filmagem da palestra “Utilizando de forma eficiente seu storage para ter o melhor IOPS” e está disponivel no endereço http://www.microsoft.com/pt-br/showcase/details.aspx?uuid=7aa99d21-4f5f-4b65-9606-aa22c14cb682

    Alem dessa que apresentei com o Marcio Maisonete outras palestras foram gravadas e podem ser assistidas online.

    A lista publicada pelo Fabio Hara contem os videos disponiveis: http://www.fabiohara.com.br/2012/02/17/veja-algumas-palestras-do-teched-brasil-2011/

    Posted: fev 27 2012, 17:59 by msincic | Comentários (4) RSS comment feed |
    • Currently 0/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    Filed under: Eventos | Hardware

    O que é e como calcular IOPS (Exchange, SQL, SharePoint, etc)?

    Esta pergunta é frequente, principalmente porque como consultor de soluções da Dell que é um fabricante de hardware temos que saber.

    O que são IOPS?

    É o número de operações por segundo que um disco individual consegue chegar. Por exemplo, um disco SAS de 10K consegue em média 140 IOPS.

    Esta velocidade é padrão na industria com variações entre modelos, mas podemos ter uma base do que é aceitável e o fabricante do disco poderá lhe informar este número.

    Porem, note que a diferença é muito grande, principalmente levando em conta os novos discos SSD. Por exemplo, o disco X25-E da Intel (Veja o pdf com as caracteristicas em http://download.intel.com/design/flash/nand/extreme/extreme-sata-ssd-datasheet.pdf) chega a números 30 vezes maiores que os discos SAS e SATA.

    image

    Porque o IOPS é tão importante?

    Esta pergunta é óbvia, mas a explicação pode não ser tão simples. Acontece que na maioria dos casos temos a tendencia de minimizar a questão dizendo que é “performance” ou “percepção do usuário” mas na verdade pode impactar diretamente no funcionando de um aplicativo, em alguns casos até inviabilizando.

    Por exemplo, um ambiente Exchange 2003 com 2 mil caixas de correio precisa de 1,5 mil IOPS e este número não é fácil de alcançar. O SQL Server para um banco de dados do SharePoint precisa de 5 mil IOPS para funcionar.

    Como calcular o IOPS?

    Multiplique o total de discos pelo tipo de RAID e conseguirá o seu número. Segue alguns exemplos:

    image

    O RAID 1, RAID 10 ou RAID 0 irá lhe proporcional o maior numero de IOPS possivel, já o RAID 5 o calculo leva em conta 1 disco a menos e no RAID 50 2 discos a menos para as paridades.

    Como conseguir o maior IOPS possivel com maior capacidade?

    Temos tres formas de fazer isso:

    1. Utilize discos de alta performance, como os SAS de 15K ou o SSD, porem são caros e no caso do SSD de tamanhos de apenas 32/50/64/100GB
    2. Utilize o tipo de RAID apropriado para a performance e não visando o tamanho desejado como muitos hoje fazem, o que muitas vezes implica em utilizar RAID 10 para ter a performance total ao invés de RAID 50, perderiamos em capacidade mas ganhamos em performance
    3. Compre um storage que trabalha com as LUNs virtuais, ou seja, ele aloca os dados nos discos conforme a necessidade deste dado e não necessita dizer o tipo de RAID

    O que são as LUNs virtuais?

    Não vamos entrar no ponto técnico já que este é bem mais complexo, porem podemos entender o que é esta nova tecnologia sem nos tornarmos especialistas em storage.

    Usando os storages da Dell como exemplo, o MD3200i trabalha com LUNs da forma normal que conhecemos. Você indica que os discos X a Y formam o RAID 0, de Z a W o RAID 5 e assim por diante. Ou seja, mapeamos diretamente os discos e ficamos dependentes da capacidade de IO individual de cada um.

    Já na série EqualLogic podemos definir o tamanho da LUN sem indicar os discos e o próprio storage irá alocar automaticamente os dados mais acessados nos discos mais rápidos (!!!!!!!!!!). Você deve estar achando que é brincadeira ou algo do tipo “conceito”, mas não é!!

    Os novos storages vendidos pela Dell, EMC, IBM e outros são inteligentes e permitem misturar os discos. Por exemplo, posso colocar discos SSD na gaveta do storage e mais uma gaveta adicional com 24 discos de 15K SAS e não me preocupar se a LUN que criei está nos discos mais performáticos, quem fará este trabalho é o storage.

    E, o mais interessante, quando o storage “perceber” que determinado dado (LUN) é mais acessado que outro ele irá realocar para os discos mais rápidos e fazer o shift dos dados sem intervenção e queda de performance, já que trabalha em background e automático !!!!

    Referencias interessantes

    Como calcular IOPS para Exchange 2003 http://technet.microsoft.com/en-us/library/bb125019(EXCHG.65).aspx

    Como calcular IOPS para Exchange 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/ee832791.aspx

    Como calcular IOPS para o SQL do SharePoint 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc298801.aspx

    Utilitário para medir IOPS para o SQL Server (SQLIO) http://www.microsoft.com/download/en/details.aspx?displaylang=br&id=20163

    Referencia do EqualLogic S6000 http://www.equallogic.com/products/default.aspx?id=9511

    Posted: jul 03 2011, 13:53 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
    • Currently 0/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    Login