MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Tags

Webcast TechNet: System Center e o "Cliente Verde"

Webcast TechNet: Webcast TechNet: System Center e o "Cliente Verde"

Idioma(s): Português.
Produto(s): Microsoft System Center.
Público(s): Generalista de TI.
Duração: 60 Minutos
Data de Início: quarta-feira, 10 de novembro de 2010 12:00 Brasília

Visão Geral do Evento

Com o lançamento do sistema operacional Windows 7, novos recursos, cenários de trabalho e eficiências estão surgindo. Na área do TI verde, o Windows 7 contém novos recursos que, quando combinados ao Microsoft System Center, levam à redução dos custos operacionais por meio do gerenciamento de energia controlado centralmente.    Neste webcast, descreveremos os recursos corporativos de gerenciamento de energia que foram introduzidos no recém-lançado Microsoft System Center Configuration Manager 2007 Service Pack 2 (SP2) e no Configuration Manager 2007 R3. Saiba mais sobre a integração com a tecnologia Intel vPro, o planejamento da gestão de energia, a aplicação de diretivas controladas centralmente e os formatos de relatório de padrão industrial, e entenda por que o Configuration Manager deve ser a sua escolha tecnológica para a redução dos custos relacionados à energia.
Palestrantes: Marcelo Sincic e Arnaldo Fagnani

Link para inscrição: https://msevents.microsoft.com/CUI/WebCastEventDetails.aspx?EventID=1032469780&EventCategory=4&culture=pt-BR&CountryCode=BR

Posted: nov 08 2010, 11:22 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Medindo consumo de energia real (JouleMeter)

Tabelas de teóricas de consumo de um microcomputador, notebook ou servidores são amplos na internet. Em geral se utilizam 4 formas de cálculos:

  1. Determinístico Arbitrário – Usa-se capacidade total da fonte menos um percentual arbitrário de uso concorrente. Por exemplo, se a fonte do seu computador é 200W e você não utiliza todas as saidas de energia, arbitra-se o valor de 60%, portanto 120W.
    Este método não é confiável porque não tem qualquer base real para o percentual.
  2. Deterministico Acumulado – Soma-se o consumo da CPU, memória, discos, placa mãe e adicionais levando em conta as especificações técnicas do fabricante de cada componente.
    Este método é exato no cálculo mas pode aumentar o consumo real, pois leva-se em conta o valor de consumo máximo de cada componente, sendo que o processador varia o consumo conforme a demanda, o disco pode desligar em ociosidade, alem de não levar em conta dispositivos USB como teclado, mouse e pendrive.
  3. Consumo Real – Este método é o mais exato e traz o consumo a partir da energia “puxada” pelo equipamento a partir do cabo de força principal com a ajuda de um alicate amperímetro, como a imagem abaixo. Este alicate traz a amperagem, voltagem e consumo pelo arco elétrico gerado no cabo de força ao ser coloca na pinça de leitura.
    image
    Porem, este método também tem a desvantagem de exigir que a medição seja humana e não manter registros das oscilações conforme o uso dos componentes se ajustam a demanda de processamento.
  4. Consumo Real (heurístico) – Este método é automatizado, inteligente e real. Por meio de fórmulas heurísticas de consumo é possivel saber o total medindo o consumo da CPU, memória e outros componentes a partir de dados dos sensores do computador ou pelos dados de cada componente atualizado. Este cálculo é feito por um software que acumula os dados trazendo a média de consumo, INCLUINDO CO2 !!!
    Para isso baixe a ferramenta JouleMeter criada pela Microsoft Research e gratuito em http://research.microsoft.com/en-us/projects/joulemeter/default.aspx
    image
    O consumo de CPU e memória do programa é infimo e não afetará o ambiente, sendo permitida até a instalação em VMs baseadas em processadores com Intel-VT ou AMD-V.

É isso ai, agora você poderá fazer tabelas reais de consumo dos servidores, estações e outros da sua rede. Em breve farei um post comparando o consumo de servidores visualizando o cenário de virtualização.

Posted: nov 06 2010, 12:50 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Green IT | Windows

Green IT no System Center Configuration Manager R3 - Power Management

Enquanto aguardamos mais informações sobre o vNext (veja post http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Roadmap-da-familia-de-produtos-System-Center.aspx) vale a pena conhecer o novo recurso do R3 "Power Management".

O processo é bem interessante, formado por tres partes a serem utilizadas. Primeiro vá ao menu de "Client Agents" e habilite o agente "Power Management". O segundo passo é ir sobre uma das coleções e com o botão direito acessar a opção "Modify Collection Settings" e configurar os planos de energia. E o terceiro passo é instalar e executar os relatórios. Vou detalhar abaixo as telas a serem seguidas e o resultado:

 

1- Habilitando o agente para gerenciamento de energia no cliente

2- Criando um perfil de gerenciamento centralizado na collection

 

3- Relatórios gerenciais para acompanhamento e comparativos com gerenciamento de energia centralizado

NOTA: Se você não tem os relatórios na sua lista acesse o post http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Instalando-os-relatorios-da-feature-Power-Management-do-SCCM-R3.aspx

Posted: nov 05 2010, 23:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Suporte a Intel vPro no System Center Service Manager e no Configuration Manager

No webcast que realizei com o Wesley (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/TechNet-Webcast-Visao-Geral-Tecnica-System-Center-Configuration-Manager-2007-SP2-e-R3-dia-262010.aspx) comentamos que o Configuration Manager SP2 tem suporte ao Intel Core vPro. Hoje fo anunciado que o Service Manager 2010 também terá suporte a tecnologia Intel vPro. Porem já recebi 5 emails me perguntando o que é o Intel Core vPro.

O Intel Core vPro é uma tecnologia que a Intel criou para suporte e funcionalidades envolvendo consumo de energia de uma máquina.  Como o foco é a parte de gerenciamento, com o vPro é possivel capturar o console de uma maquina diretamente pelo processador !!!

Imagine a situação onde um computador recebe um novo hardware, precisa de uma atualização de dados da BIOS ou firmware, alterar alguma configuração da BIOS ou mesmo uma tela azul causada por software ou hardware (exceto processador, obviamente). Com o Intel vPro o administrador acessa remotamente a console BIOS da maquina destino pelo rede, um console real.

Coloque este cenário no SCCM ou no SCSM e você poderá resolver um problema em um servidor mesmo que este esteja na tela de inicialização acusando que o disco primário ou a controladora SCSI está desconectada ou mal configurada. Com o Intel vPro você conseguirá entrar remotamente configurar ou apenas apertar o F1 como é comum nestes casos sem ter que se movimentar fisicamente.

Este recurso, como vocês podem supor, é essencial para datacenters e ambientes remotos sem administração localizada. Se você tem interesse em utilizar este recurso saiba que é precisa configurar o Out-Of-Band Management e ter certificados digitais. Veja o procedimento no video localizado em http://www.microsoft.com/belux/technet/nl/chopsticks/default.aspx?id=998

Alem disso você também conta com uma série de recursos que permitiram monitorar e gerenciar melhor o consumo de energia do hardware. Estes recursos podem ser vistos em detalhes no link ao final deste post.

Fonte SCSM: http://blogs.technet.com/b/systemcenter/archive/2010/06/14/latest-intel-core-vpro-processor-remote-management-capabilities-available-for-system-center-service-manager.aspx

Fonte técnica do vPro: http://www.intel.com/portugues/products/vpro/index.htm

Migrando e removendo o Exchange 2007 para Exchange 2010

Este processo de migração não é misterioso nem com grau de dificuldade “missão impossível”. Iniciando ontem a tarde e termino hoje de madrugada fizemos a migração de dois ambientes com Exchange 2007 para Exchange 2010.

O processo é o mesmo que migrar de Exchange 2003 para Exchange 2007, side-by-side. Cria-se o novo servidor que automaticamente irá participar da mesma organização, migrar as caixas de correio e alterar o servidor responsável pela OAB.

Para quem não conhece o processo Exchange 2003 para Exchange 2007 veja os vídeos da série migração em http://technet.microsoft.com/pt-br/ee331664.aspx.

Porem, o Exchange 2010 vai dar um baile em quem vem do Exchange 2007 em alguns pontos e é sobre estes que vou abordar, depois de ficar até as 5:30 da manhã em mais uma migração “batendo cabeça”.

Bloqueio de anexos no OWA (Fácil)

O OWA irá barrar arquivos anexados de qualquer tipo se não for feita a configuração EM CADA SERVIDOR CAS. A primeira tela abaixo mostra a configuração que deve ser ativada e a segunda a lista de arquivos bloqueados/permitidos:

Tela-1

Tela-2

 

Rodar o Exchange 2010 no Outlook 2003 (Fácil)

O Exchange 2010 exige que o tráfego RPC seja criptografado, então é necessário alterar o perfil do usuário do Outlook 2003 para que ele utilize criptografia na comunicação. Você conseguirá ver isso utilizando o cmdlet Get-RpcClientAccess | fl e verificando o atributo “Encryption Required” que deverá estar “true”.

Basta ir no Outlook, editar o perfil e selecionar a opção “Encrypt data between Outlook and Microsoft Exchange” que fica na aba “Security” do Outlook 2003.

Alterar o servidor de envio de emails (Fácil)

Ao criar os “Send Connectors” (Organization –> Hub Transport) ele vincula o conector ao servidor ativo no momento.

Basta abrir cada um dos conectores de envio, acrescentar o novo servidor e remover o anterior.

Alterando o gerador da Lista de Endereço Offline-OAB (Fácil)

Apenas um servidor gera a lista que é baixada no cache do Outlook Office e OWA. Mude ela para o novo servidor:

image

Alem disso, se na sua organização não se utilizam mais versões de Office anteriores a 2003, você pode mudar o modo de distribuição da OAB, como abaixo. Importante que nos passos a frente um deles será retirar as pastas públicas e a distribuição da OAB por ela pode se tornar inconsistente.

image

Remover o Mailbox Default da instalação (Médio)

Ao instalar o Exchange 2010 ele cria um mailbox com um valor identificador numérico randômico onde ele hospeda as caixas de correio do sistema chamadas de “arbitrárias”. Para conseguir remover este mailbox primeiro deverá mover as caixas de sistemas para outro database com o cmdlet abaixo:

Remover Mailbox Default

O primeiro deles Get-Mailbox –Database <nome> –Abitration irá listas as caixas de correio e o segundo Get-Mailbox –Arbitration –Database <Nome> | New-MoveRequest –TargetDatabase <nome do novo MB> executa a lista e envia para o pipe de move.

Remover as Pastas Públicas do servidor anterior (Dificil)

Você precisará remover o conteudo das pastas publicas. Se possui pastas publicas criadas pelos usuarios ou adicionais primeiro será necessário fazer a réplica para o novo servidor, esperar replicar e remover da réplica o servidor original. Isso pode ser feito pela ferramente “Public Folder Management” que está em Tools no console do Exchange.

Para mover todas as pastas públicas de sistema você deverá executar o script MoveAllReplicas.ps1 que está na pasta scripts da instalação do Exchange passando como parametros –Server <atual> –NewServer <novo>. Ainda outro passo necessário será ir em cada Mailbox e na aba “Client Settings” mudar a pasta pública que é utilizada como padrão em cada um dos databases.

Se após estes passos mesmo assim você não conseguir remover o role Mailbox haverá necessidade de fazer um contorno documentado que envolve abrir o ADSIEDIT.msc e seguir o caminho:

Configuration -> Configuration -> Services -> Microsoft Exchange –> Organização-> Administrative Groups –> Grupo Administrativo -> Servers –> Servidor 2007 -> InformationStore –> Storage Group desejado

Na parte direita da tela aparecerá a lista de storages armazenados naquele grupo. Delete manualmente o de pasta pública.

NOTA: É altamente recomendado fazer o backup do AD antes de executar o ADSIEDIT

Ajustar as regras do ISA ou TMG para o ECP - Control Panel do Exchange 2010 (Difícil)

Nas regras do OWA do ISA 2004, ISA 2006 ou Forefront TMG para o Exchange 2003 e Exchange 2007 havia apenas um diretório virtual a ser publicado, o OWA. Agora no Exchange 2010 existe também o diretório virtual ECP.

Para ajustar a regra de publicação abra suas propriedades e altere na aba Paths como a imagem abaixo incluindo o diretório virtual do ecp como prefix:

image

Ajustar o IIS para acessar o ECP e OWA (Difícil)

Ainda neste ponto existe o problema de que o ECP não entre por causa do modo de autenticação no IIS. Para ajustar isso acrescente na instalação do Web Server em Roles do Windows a feature de autenticação anônima e no diretório virtual do IIS acrescente este tipo de autenticação, bem como a Basic e a Windows:

image

Essa mudança é feita no diretório virtual do ECP, mas caso você tenha problemas para acessar o OWA após a migração desabilite o modo Forms e habilite os modos Basic e Windows no diretório virtual OWA.

CONCLUSÃO

Estas dicas me ajudaram a conseguir fazer o processo de migração já a algum tempo, mas compartilhar as experiências sempre é importante. Se você também tem algum ponto adicional no processo da migração Exchange 2007 para Exchange 2010, envie nos comentários e acrescentarei neste post.

Posted: nov 05 2010, 14:40 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Exchange Server
Login